Medicar animais pode ser uma tarefa difícil causando stress ao animal e pode levar a que os donos desistam de dar a medicação.

Personalizamos medicamentos

Na Douradovet podemos personalizar a medicação de um animal de acordo com a espécie e o peso do animal e com um gosto saboroso. Podemos ainda transformar formas de dosagem tradicionais em formas mais facilmente administrados como cremes transdérmicos, por exemplo no caso de animais difíceis de manipular.

As nossas formulações combinam a alta qualidade de princípios activos com formas de apresentação e dosagens de forma a criar formulações específicas para cada animal. Todas as formulações sofrem um controlo rigoroso e todas as substâncias têm de estar inscritas na farmacopeia europeia do medicamento e no codex alimentar.

 

FORMAS DE APRESENTAÇÃO DISPONÍVEIS

 

Cápsulas, cápsulas gastro resistentes e com sabor (bacon, frango, porco, morango e laranja)

Permitem ajustar a concentração de medicamentos na dose certa em função da espécie, peso e idade do animal e sem necessidade de divisões de comprimidos ou de tomas de vários comprimidos em simultâneo.

O tamanho da cápsula é ajustado à espécie, permitindo tamanhos muito reduzidos, (Cápsulas Nº3 e Nº4) ideais para gatos, cães pequenos, répteis e aves ou (cápsulas Nº0 ou Nº1) para cães grandes e cavalos.

 

Suspensões orais, xaropes e gotas

É usado um veículo líquido que facilita a adesão à terapêutica em animais. Para gatos a preferência do aroma é morango, baunilha. Para cães a preferência do aroma é manteiga ou carne. Facilmente permite ajustes de dose.

 

Pomadas, Cremes e loções

Permitem a aplicação de medicamentos por via cutânea.

 

Formas para aplicação transdérmica de medicamentos

São preparações que são aplicadas por via cutânea, em áreas sem pêlo, por exemplo no interior da orelha, como uma alternativa de administração sistémica. É uma alternativa particularmente útil para animais que são agressivos ou que não devem ser forçados devido a doenças cardiovasculares.  Vários princípios activos são compatíveis com esta via de administração e nomeadamente analgésicos, anti-eméticos, transquilizantes entre outros.

 

Medicamentos Homeopáticos

Os medicamentos homeopáticos podem ser compostos de substâncias vegetais, como ervas; minerais como o cálcio; ou de origem animal como a tintura de lula ou o mel. A homeopatia veterinária é muito semelhante à humana, o que difere é o uso do álcool e do açúcar que no caso dos animais tem de ser restrito.

 


 

Inscreva-se e receba a nossa newsletter com vários exemplos de aplicações de medicamentos manipulados.

 

 

Deixamos alguns estudos e testemunhos de uso de formulações que são manipuladas e suas aplicações

 


 

Uso de Brometo de Potássio e de fenobarbital no Controle de crises convulsivas

Por Dr. Mollyann Holland, Diplomado pelo American College of Veterinary Internal Medicine.

O Brometo de Potássio é frequentemente útil no tratamento de crises refratárias em animais e pode também ser preferível para utilizar em animais que desenvolveram hepatotoxicidade, a outros anticonvulsivos.  As doses de manutenção variam de 20-100 mg / kg de peso corporal / dia, e pode ser administrada como uma dose única ou dividida e tem toma conjunta com alimentos. Devido à sua longa meia-vida, o brometo de potássio pode demorar até quatro meses a atingir os níveis sanguíneos terapêutico. Poderá ser necessário ajustes de dose que podem chegar a 400-600 mg / kg de peso do corpo e deve ser administrado oralmente durante 30 a 60 minutos para evitar a vómitos.

 

Fenobarbital: Problemas e Soluções

Enquanto fenobarbital é frequentemente usado em medicina veterinária, existem várias preocupações com a sua utilização:

Não há medicamentos comerciais veterinários aprovados;

Os comprimidos de uso humano de fenobarbital são pequenos, duros e tornam-se difíceis de dividir para dosagem individualizada;

O fenobarbital activa as enzimas hepáticas CYP450 que pode resultar em interacções medicamentosas significativas com anticoagulantes orais, esteróides, antibióticos, beta-bloqueadores, teofilina, etc.

O fenobarbital está contra-indicado em cães com doença hepática.

Quando desejar prescrever fenobarbital, pode prescrever uma forma manipulada em suspensão oral de forma adequada ao animal e com sabor, e que é altamente bio-disponível e muito fácil de usar e ajustar a dose. Após ter atingido a dose de manutenção, a forma de dosagem pode ser uma cápsula com sabor com o benefício adicional de alta aceitação pelo paciente.

 

Aplicação na mucosa oral de Buprenorfina

O perfil farmococinético da buprenorfina administrada por via intravenosa é quase idêntico à buprenorfina administrada na mucosa oral. O phH salivar alcalino do gato impede a ionização da buprenorfina permitindo que se difunda facilmente para a circulação sistémica, permitindo que os proprietários dos animais a possamaplicar em casa facilmente (no interior da boca, junto à bocheça). A buprenorfina é frequentemente utilizada para o fornecimento de analgesia de uma forma não invasiva, no caso de gatos é possível ajustar a preparação para apenas a aplicação de uma gota e no caso de cães ou cavalos a um volume de 1 ml para aplicação intrabucal.

Vet Ther.2008 Summer;9(2):83-93 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18597246

 

Suspensão de Cloranfenicol para Aves e Pequenos Animais

por J. Terry McGrath, DVM

Recorro ao uso de cloranfenicol em suspensão em aves ou outros pacientes, tais como coelhos e roedores, com sabor o que realmente ajuda na administração do medicamento. Geralmente recomendo suspensão com sabor a tutti fruta, contendo 30 mg / ml de cloranfenicol, que pode ser administrada usando uma seringa pequena por via oral.  Pode ser igualmente administrado em cães, já que o cloranfenicol é bem tolerado, tem uma elevada eficácia clínica, e uma baixa incidência de efeitos colaterais.

 

Aplicação intranasal de Clotrimazol no tratamento de aspergilose nasal em cães

 O tratamento da aspergilose nasal com antifungicos sistémicos como tiabendazol, cetoconazol e fluconazol, tem uma taxa de resposta de apenas 43 a 60%. A resposta à administração oral de itraconazol tem sido de aproximadamente 60 a 70%, no entanto a administração tópica dos imidazóis, enilconazol, clotrimazol é mais eficaz do que os medicamentos antifúngicos administrados por via oral.  A administração tópica de clotrimazol, é um tratamento eficaz na aspergilose nasal em cães. O uso de infusão intranasal de clotrimizol, é um método não-invasivo e eliminou a necessidade de trepanação cirúrgica dos seios frontais em muitos cães e foi associado com menos complicações. O corrimento nasal cessou na maioria dos cães 2 semanas após o tratamento tópico, os autores recomendam re-tratamento com clotrimazol se  o corrimento nasal não melhorou 2 semanas após o tratamento.

J Am Vet Med Assoc agosto 1998 15; 213 (4): 501-6 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9713532?dopt=Abstract

 

Azitromicina no tratamento de infecções por Rhodococcus (R. equi) em Potros

Com base nos valores farmacocinéticos, uma única dose oral diária de 10 mg / kg é adequada para o tratamento de infeções pulmonares por R. equi. A persistência de concentrações elevadas de azitromicina no fluido de revestimento epitelial pulmonar (PEFL) e nas células broncoalveolares 48 horas após a descontinuação da administração sugere que depois de 5 doses diárias, a administração oral em intervalos de 48 horas pode ser adequado.

Am JVet Res 2001 Dec;62(12):1870-5 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11763173?dopt=Abstract

 

Uso de Amitriptilina para terapia Comportamental e incontinência urinária

Cloridrato de amitriptilina é um amplamente utilizado em medicina comportamental de animais de companhia, exercendo anti-histamínico, anti-inflamatório, analgésico, e efeitos antidepressivos. Amitriptilina aumenta a atividade sináptica da serotonina e norepinefrina, tem atividade anticolinérgica central e periférica significativa, e estimula os receptores beta-adrenérgicos no músculo liso (por exemplo, a bexiga), causando uma diminuição da excitabilidade do músculo liso e um subsequente aumento na capacidade de armazenamento e bexiga.

Compendium 23(5) maio 2001: 433-7

 

Amlodipina no tratamento da hipertensão arterial sistémica

A amlodipina, é um bloqueador do canal de cálcio, tem um efeito anti-hipertensivo em gatos com hipertensão sistémica coexistentes e insuficiência renal. A sua utilização pode melhorar o prognóstico para gatos com hipertensão arterial sistêmica, diminuindo o risco de lesões neurológicas ou complicações oculares induzidas pela pressão arterial elevada (BP) como perda de visão; descolamento da retina, hemorragia, edema, e degeneração. Um estudo do Departamento de Ciências Clínicas de Pequenos Animais da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade da Flórida, a Amlodipina demonstrou que a na dose diária oral de 0,625 mg por gato (intervalo = 0,08-,23 mg / kg de peso corporal), uma vez ao dia é segura e eficaz.